Início » Tudo que você precisa saber sobre Transformação Digital e Google Workspace (G Suite) » Etapas de um processo admissional: contratei, e agora?

Etapas de um processo admissional: contratei, e agora?

Todo o processo de recrutamento e seleção de candidatos passa por diferentes etapas: entrevistas, testes, dinâmicas, conversas. Cada empresa tem um método, mas todas têm fases em comum. Porém, você sabe o que fazer depois de aprovar a candidatura de alguém? Nossa missão de hoje é explicar como funciona o processo admissional.

Antes de tudo, vale pontuar que o contrato no regime CLT é diferente do contrato PJ e do temporário. Os dois últimos citados são menos burocráticos. Mas, assim como durante o processo de escolha do colaborador, o pós-contratação tem coisas em comum, independente do regime. 

Informar sobre a aprovação no processo admissional

Vamos começar do começo. Para que uma pessoa trabalhe para você, é preciso que ela saiba que foi contratada. Mande um e-mail de boas-vindas, parabenizando a pessoa pela aprovação. 

Aproveite a mensagem para solicitar os documentos necessários para a contratação. Isso depende do tipo de contrato usado. Se a contratação for pelo regime CLT, por exemplo, é necessário que a pessoa aprovada apresente a carteira de trabalho. 

De qualquer forma, em todos os casos é necessário apresentar RG e CPF. Geralmente, os lugares pedem o documento original e uma cópia. Quanto à questão de diploma e outras solicitações, também varia de empresa para empresa.

Acesso às ferramentas de trabalho

Depois de receber toda a papelada necessária, é hora de ir para o próximo passo. Elabore o contrato e deixe-o pronto para que o novo funcionário assine no primeiro dia de trabalho. Em tempos de pandemia, algumas empresas pedem para que a pessoa imprima, assine e escaneie o documento, ou utilizam ferramentas de assinatura digital. Outras podem pedir para que ele compareça à sede da empresa apenas para a assinatura do contrato. 

Solicite à equipe de TI que libere o acesso a todas as ferramentas que o colaborador vai usar. Além disso, é fundamental que ele possua um e-mail próprio. Não só o e-mail, mas também uma assinatura própria, contendo nome, cargo, telefone, foto e redes sociais, se preferir. Nós já explicamos por que criar uma assinatura de e-mail profissional.

Para tornar esse processo mais simples e rápido, a Conecta possui uma plataforma que vai facilitar essa questão. O Conecta Sign permite a criação e edição de assinaturas de e-mail individuais e em massa. Uma das grandes vantagens do Conecta Sign é que você não depende da disponibilidade do colaborador para a criação. Ele permite que você crie um modelo de assinatura, deixe-o salvo e aplique para todos os colaboradores. 

No caso de uma pessoa nova na equipe, é só fazer as adaptações necessárias. Assim, você não corre o risco de ter uma assinatura completamente fora do padrão da empresa. 

Cadastrar o colaborador nos sistemas da empresa

Feito tudo isso, não esqueça de cadastrar a nova pessoa da equipe em tudo o que ela vai precisar usar. Todos os sites, no sistema de ponto (caso haja um), etc. Faça isso o quanto antes, porque pode ser que o colaborador precise usar uma dessas ferramentas e não tenha ninguém disponível para fazer o cadastro naquela hora.

Preparar onboarding após a contratação

A palavra onboarding pode ser traduzida como integração. Isso já diz muito, né? Quando você contrata uma nova pessoa, é importante facilitar o processo dela de integração com a empresa e com a equipe na qual ela vai trabalhar. Isso também faz parte do processo admissional. Com um onboarding bem preparado, as chances de um imprevisto acontecer são menores.

Em primeiro lugar, monte um cronograma para o primeiro dia do funcionário. Fazer uma lista do que deve ser dito ajuda a não esquecer dos detalhes. Fale sobre todo o regime de contratação, sobre salários, benefícios, jornadas, horas extras e como funciona o dia a dia do trabalho. 

Depois, apresente todas as dependências da empresa, mostre os acessos e qual é o lugar onde ela vai trabalhar. Em seguida, apresente o novo colaborador ao coordenador da equipe que ele vai trabalhar e aos colegas de time. Orientar a pessoa para que ela comece a trabalhar sem mostrar as pessoas com quem ela vai dividir o dia a dia pode gerar um clima ruim. Definitivamente não é isso que você quer.

Por fim, descubra quem é o funcionário escalado para treinar o novo funcionário e mostrar todas as ferramentas a serem usadas. Seguindo esses passos, todo o processo de chegada de uma nova pessoa fica melhor.

Agendar data de início

Depois de toda essa preparação, chegou a última etapa do processo admissional. É só definir o dia e horário que o novo colaborador vai começar. Feito isso, coloque como um evento na sua agenda do Google e mande o convite para ele. Recomende que o novo integrante do time responda ao convite para você ter certeza de que ele viu. Com esses passos, a possibilidade dele esquecer ou confundir a data e o horário diminui bastante.

Detalhes

De todos esses processos que costumam dar trabalho, o que pode ser mais automático é o da assinatura de e-mail. Com o Conecta Sign, você não precisa criar uma assinatura de cada colaborador que chega. Com um painel simples de usar e intuitivo, você pode aplicar a assinatura com os padrões da empresa a todos os e-mails. Com a ferramenta, um processo que é considerado mais chato pode ficar muito mais rápido e descomplicado.

Além disso, que tal usar nosso Gerador Automático de Assinatura de E-mail? É gratuito!


Continue conectado: