Início » Tudo que você precisa saber sobre Transformação Digital e Google Workspace (G Suite) » Problemas ocultos do home office

Problemas ocultos do home office

Quem vê produtividade não vê perrengue? Estamos em home office por necessidade há um bom tempo, mas nossa saúde mental está debilitada. Por mais que muita gente esteja acostumada com o trabalho remoto, alguns problemas surgiram agora. Outros pioraram. Trabalhar em casa traz muitas comodidades, mas é preciso prestar atenção nos detalhes.

No último post do blog, nós explicamos por que a produtividade dos colaboradores aumentou na pandemia. A pesquisa usada nesta publicação revela que 58% dos entrevistados disseram que a produtividade aumentou nesse período. No entanto, os mesmos participantes apontam algumas questões que incomodam.

Segundo o levantamento da Fundação Dom Cabral, o maior obstáculo do home office é o volume maior de horas. O estudo foi feito em parceria com a Grant Thornton e a Em Lyon Business School em março de 2021.

Desafios do home office

A porcentagem a respeito da produtividade é muito positiva, mas o que está por trás dela, não exatamente. Muitos colaboradores estão rendendo mais, sim, mas também passam mais tempo trabalhando. Não é à toa que 24% dos participantes da pesquisa apontaram esse excesso de horas como um problema.

Em seguida, vem a dificuldade de relacionamento com os colegas. Realmente, é muito mais difícil criar vínculos conversando apenas por telas. Principalmente se a pessoa ingressou na empresa na pandemia, ou seja, não houve nenhum contato físico. Não é algo impossível, só é mais demorado e trabalhoso. 

A dificuldade na comunicação tem exatamente a mesma porcentagem que o problema para se relacionar. De acordo com a pesquisa, 16% veem como tem sido difícil falar com os outros colaboradores. O equilíbrio com as demandas pessoais vem em quarto lugar, apontado como um desafio por 14% dos participantes.

Esses entraves não são novos. Contudo, algumas situações ficaram ainda mais complicadas após tanto tempo em casa. Depois de um certo período de pandemia, o termo fadiga ocular, por exemplo, passou a ser mais comentado. Ele se refere às consequências que o uso excessivo de celulares (e telas, no geral) causam aos olhos humanos.

Anteriormente, já trabalhávamos e nos comunicávamos através de telas. Porém, com o home office, os dispositivos viraram nosso único meio de interação, fazendo com que ficássemos bem mais cansados. Por isso, é preciso estabelecer limites e saber dosar o uso de telas.

E as soluções?

Alguns desses problemas são bem específicos do momento de home office. Outros poderiam ser resolvidos com o trabalho híbrido. Como ele não é uma opção no momento, vamos trabalhar com aquilo que é mais urgente. 

Para solucionar questões relacionadas a horas extras, organização é a palavra-chave. Definir prioridades e tomar as decisões corretas também influenciam nesse processo. Só assim é possível ter um bom rendimento sem trabalhar demais.

Para que um colaborador continue sendo produtivo no home office, é importante que a saúde dele esteja em dia. Principalmente a mental. Muitas vezes, ele tem o costume de fazer horas extras e nem percebe. No entanto, quando vê, já é tarde e está completamente esgotado, o que pode até levar a um burnout.

Nenhum gestor quer que alguém da equipe chegue a esse ponto. Desse modo, é de extrema importância que esses fatores sejam monitorados. Conversas eventuais podem ajudar a detectar esse tipo de problema. Muitas empresas só passaram a prestar atenção na saúde mental quando a pandemia chegou. Daqui em diante, o bem-estar dos colaboradores deve ser um elemento importante nas demandas das instituições.

Por fim, se quiser mais dicas de como fazer um time trabalhar melhor no home office, baixe nosso guia. Ele é totalmente gratuito e com certeza vai ajudar na gestão das equipes da empresa.

Continue conectado: