Início » Tudo que você precisa saber sobre Transformação Digital e Google Workspace (G Suite) » 4 métricas para medir a produtividade da sua equipe

4 métricas para medir a produtividade da sua equipe

  • por

Aumentar o desempenho no trabalho é o objetivo de todo gestor. Afinal, aproveitar ao máximo a capacidade de um colaborador (sem acabar com toda sua energia, obviamente) significa mais retorno para a empresa e, ao mesmo tempo, um profissional que se sente útil em seu ambiente de trabalho.

métricas para medir a produtividade

Para que tal objetivo seja alcançado, o melhor caminho é usar métricas que ajudem a medir a produtividade.

Os indicadores de produtividade seguem uma tendência: usar dados para embasar as ações. Ou seja, quanto mais informações reais um gestor possuir sobre sua equipe, mais ele poderá envolver os colaboradores a alavancar a produtividade.

Primeiramente, encontre métricas que façam sentido à sua equipe. Por exemplo, trabalha com atendimento ao cliente? Não utilize os mesmos indicadores de produtividade da equipe de arte e criação.

Entretanto, existem métricas que podem ser mais genéricas e ajudarem bastante, principalmente no início. Vamos lá?

As melhores métricas para medir a produtividade de sua equipe

Calcular tempo através de time boxing

O time boxing é considerado por muitos o método mais eficiente para aumentar a produtividade. Ele funciona da seguinte maneira: separe suas tarefas do dia e organize-as em blocos de horas, estimando quanto tempo gastará em cada uma. Em seguida, distribua-as em prioridade e então, crie a lista de afazeres do dia.

Talvez, falando assim, possa parecer complicado estimar o número de horas para cada tarefa, contudo é importante colocar um valor real, mesmo que não seja certeiro. Assim, com a prática a precisão de tempo se torna mais comum. Para facilitar, anote a hora de início e fim da tarefa e sempre compare com os valores estimados

O time boxing é o método usado em Sprints, que por sua vez são muito utilizados em equipes ágeis e times de programação. Acostumados com demandas detalhadas ao máximo e divididas entre as pessoas da equipe.

Criado o hábito de utilizar o método, como resultado será possível entender quanto tempo cada profissional está produzindo, quanto tempo ele gasta com determinadas tarefas e principalmente, como é gasto o tempo de trabalho, entendendo se há sobrecarga ou se é possível melhorar a entrega.

Utilizar indicadores de qualidade

Tão importante quanto medir o tempo expendido com a realização de tarefas, é conseguir avaliar a qualidade da entrega. Afinal, não convém realizar uma tarefa em pouco tempo se ela ficar mediana e ser necessário refazê-la.

Como gestor, é preciso encontrar os indicadores que mais se adéquam à equipe e identificar a melhor proposta para o time.

Por exemplo, sua equipe possui um designer, nesse caso, calcular a quantidade de tempo utilizado para reajustes é tão importante quanto o tempo em si. O mesmo vale para os produtores de texto: se um artigo precisa de muitas alterações, isso significa que o tempo gasto inicialmente não foi o suficiente para que o trabalho fosse aceito pelo cliente.

Ou seja, melhor consumir mais tempo na criação e ter uma alta qualidade, do que ter uma entrega rápida mas que demanda muitas revisões.

Medir o Net Promoter Score (NPS)

Por sua vez, a qualidade da entrega está diretamente relacionada à satisfação do cliente em relação à sua empresa e à sua equipe. Assim, medir a satisfação é de suma importância para a autoestima e produtividade das equipes.

A pesquisa de NPS deve ser feita diretamente com o cliente. Trata-se de uma escala que mede a disposição do cliente em recomendar seus serviços a outras pessoas.

Para calculá-lo, o cliente precisa avaliar, em nota de 0 a 10, a probabilidade de recomendar o serviço a outra empresa ou amigo. Provavelmente já se deparou com essa pergunta em redes sociais, sites e e-mails de pós venda.

E como é realizado o cálculo? Dividimos os respondentes em 3 categorias, com base nas notas: Promotores – dão notas 9 ou 10, Neutros – notas 7 e 8 – e Detratores – notas de 0 a 6.

Por fim, para gerar o indicador,  utilizamos a fórmula Promotores – Detratores / Número total de respondentes. Note que o número de Neutros é contabilizado apenas no número total de respondentes.

O NPS precisa de um acompanhamento planejado. A ideia é conflitar a visão interna (como achamos que somos) e a visão externa (como as pessoas nos percebem), para então conhecer os pontos fortes e fracos no negócio e assim melhorar o que for necessário.

Retorno de Investimento (ROI)

Por fim, a métrica mais universal de todas, o Retorno de Investimento (ROI).  Através dele é possível descobrir quanto sua empresa recebe graças à sua equipe, ou seja, se há geração de lucro ou de despesas em relação à produtividade.

Essa métrica funciona mais para equipes e setores, do que para colaboradores individualmente. Por isso, é importante cuidar ao afirmar que o ROI de uma pessoa é negativo, por exemplo. Pois a produtividade desse colaborador pode não estar relacionada diretamente com dinheiro.

Já em setores como o de vendas, a métrica faz todo o sentido. Bem como na empresa como um todos.

Gestão em Nuvem

Para aumentar a produtividade da sua equipe é importante utilizar a tecnologia a seu favor.

Por exemplo, através da inteligência artificial dos aplicativos de colaboração e produtividade do Google as empresas podem economizar, com cada colaborador, aproximadamente 2 horas de trabalho por semana.

* Dados baseados na pesquisa que o Google encomendou à Forrester Consulting para avaliar os benefícios que os clientes poderiam ter com a implementação do Google Workspace (G Suite).

Gostou das dicas? Qual vai colocar em prática primeiro? Sabia que você ainda pode ter consultoria grátis de Migração para Nuvem?

Dessa forma, consegue informações valiosas sobre sua equipe de forma gratuita e dicas para aumentar ainda mais a produtividade do time!

Continue conectado: