Início » Tudo que você precisa saber sobre Transformação Digital e Google Workspace (G Suite) » Gestão de equipe: A importância do feedback e da comunicação interna

Gestão de equipe: A importância do feedback e da comunicação interna

Imagine trabalhar num lugar por alguns meses e, “do nada”, ser demitido por causa do seu desempenho. Isso gera uma frustração enorme e traz uma sensação de injustiça. Como saber que o trabalho estava sendo mal executado sem ter nenhuma orientação? Pois é, uma pesquisa feita pela FEEx mostra que a cultura de feedback é o maior problema da gestão de equipe

Se o seu objetivo é fazer a empresa crescer e o time trabalhar melhor, o feedback é indispensável. Ele deve ser feito tanto individualmente quanto coletivamente. Uma boa comunicação é a chave para uma gestão de equipe eficiente. Isso vale tanto para grandes empresas quanto para pequenas.

Todo colaborador quer saber no que está acertando e no que está errando. Por mais difícil que seja ouvir críticas, elas são necessárias, desde que sejam construtivas. Sendo assim, é necessário que você, gestor, dê um retorno aos seus colaboradores.

Mesmo que a empresa tenha muitos funcionários, é possível dar bons feedbacks. O fato de ter um grande time não é desculpa para deixar a comunicação de lado. Certamente, o quadro de pessoas é dividido em pequenos núcleos. Se os líderes de cada time são treinados para realizar uma boa gestão de equipe, também devem saber como dar retornos. Neste post, você vai saber mais sobre a importância do feedback e da comunicação interna.

Por que o feedback é essencial para a gestão de equipe?

Em primeiro lugar, vale ressaltar que o trabalho deve ser analisado, sim, mas não só ele. O comportamento do funcionário também interfere no andamento de projetos. Portanto, deve-se analisar também esse aspecto na hora de fazer apontamentos.

Inclusive, quem usa as metodologias ágeis na empresa sabe que não é possível dar continuidade a um projeto sem feedback. As metodologias ágeis consistem, como o próprio nome já diz, em agilizar processos. 

Elas garantem que o objeto desenvolvido esteja de acordo com o que o cliente quer. E é aí que o feedback entra. Se existem retornos constantes durante o processo, o produto final estará alinhado às expectativas.

Para entender melhor como aplicar isso na gestão de equipe, confira o nosso material oferecido nesta publicação. No nosso Guia de Metodologias Ágeis, você conhece alguns métodos e como encaixar cada projeto. Confira!

Além de dar um direcionamento aos colaboradores, o feedback tem outra função: motivacional. Quando o funcionário está acertando, ele se sente motivado a se engajar ainda mais no trabalho. Quando há algo errado e é comunicado da maneira correta, isso serve como um incentivo à melhora.

Dar feedbacks também é uma forma de reduzir erros, já que é um momento em que se apresenta uma solução. Se o jeito de resolver aquele problema não está claro, a conversa pode ajudar a encontrar uma saída. 

A comunicação interna e o feedback na gestão de equipe 

A função da comunicação interna é transmitir os valores, a missão e o propósito de uma empresa para seus funcionários. Quando colaboradores e instituição estão em harmonia, os projetos caminham. 

O papel deste setor é mais amplo e foca em passar a mensagem de forma mais abrangente. Isso não quer dizer que ele seja menos importante, veja bem. São objetivos diferentes.

Uma boa comunicação interna reacende o espírito de união nos colaboradores. Ela mantém viva a cultura organizacional da empresa. Além disso, mostra que eles trabalham por um projeto muito maior e melhora o clima organizacional. No entanto, não pode ser algo distante e impessoal. 

A comunicação interna atual no macro e o feedback age no micro. Para funcionar, quem realiza a gestão de equipe deve usar as duas frentes. Ambas são importantes e precisam atuar em conjunto, cada uma com seu papel.

Como dar um bom feedback

Antes de tudo, é preciso ter em mente que existe hora, lugar e jeito de dar um feedback. Na gestão de equipe, essa consciência é fundamental para manter um bom clima. Uma conversa na hora errada, uma frase mais ‘atravessada’ pode atrapalhar o trabalho. Caso seja apenas um toque simples, sem avaliações profundas, isso pode ser feito na mesma hora. No entanto, se for algo complexo, marque uma reunião.

Dito isso, é importante que você fale de forma assertiva. Assertividade não é grosseria, preste atenção nisso. Até porque ser rude pode gerar o efeito totalmente oposto do esperado. Fale de maneira firme, mas sem deixar a empatia, o cuidado e a atenção de lado. 

Se for um feedback negativo, por exemplo, apresente os pontos fortes daquele colaborador. Ofereça soluções ou peça a ajuda do funcionário para que vocês encontrem um denominador comum. 

Transmita a mensagem com clareza e tire as dúvidas que ficarem. Não deixe margem para diversas interpretações, isso pode causar confusão. Seja sincero e, se possível, apresente dados e exemplos claros sobre o que você está dizendo. Essa atitude ajuda a entender o problema e a enxergar uma resposta.

Um bom líder também precisa saber ouvir. Então, é importante que esteja aberto à conversa e a outras opiniões. Assim, você consegue saber os pontos fortes e fracos na sua gestão de equipe.

Por fim, se a organização para a qual você trabalha precisa de auxílio quanto aos valores da empresa, nós podemos ajudar. É só olhar o post “Cultura organizacional: 3 dicas para sua empresa”. Lá, você vê mais detalhes sobre a importância dela e como fazer a estruturação. Não deixe de conferir!

Continue conectado: