Início » Tudo que você precisa saber sobre Transformação Digital e Google Workspace (G Suite) » Coisas para não esquecer no Onboarding de um novo colaborador

Coisas para não esquecer no Onboarding de um novo colaborador

Todo o processo de contratação de uma nova pessoa para uma empresa é importante e precisa ser pensado com cuidado. O planejamento não acaba quando o trabalhador recebe o ‘sim’ do departamento de Recursos Humanos.  Quando ele é aceito, um novo processo se inicia, que é o de inclusão aos sistemas da empresa. Ao contratar um novo colaborador, é preciso integrá-lo não só à organização, mas também ao time com o qual ele vai trabalhar. É imprescindível que ele se sinta bem adaptado para conseguir desenvolver um bom trabalho com segurança. Isso deve ser construído desde o primeiro momento em que ele passa a fazer parte da empresa.

Por que o onboarding é importante?

Antes de tudo, vamos explicar o que é o onboarding. Essa palavra pode ser traduzida como integração. Ou seja, é o processo de integrar alguém a alguma coisa. No nosso caso, quer dizer integrar o novo colaborador à empresa, como já foi mencionado. 

Não tem como uma nova pessoa começar a trabalhar sem ter sido apresentada às pessoas que vão participar do dia a dia dela. Uma boa integração deixa o clima de trabalho muito melhor e influencia na produtividade de todos. Fora isso, para que ele comece a trabalhar, é preciso conhecer todas as ferramentas que ele vai precisar para executar suas tarefas. Todos esses detalhes fazem parte do onboarding. Por isso, o RH da empresa deve dedicar um tempo especial para elaborar cada etapa desse processo.

O onboarding deve ser feito logo no começo, que é quando o novo membro do time está mais motivado e prestará mais atenção às orientações. O timing correto vai fazer com que ele tenha uma adaptação melhor e mais rápida. Porém, o processo se estende por mais tempo, pois é necessário acompanhar a evolução do trabalho individual e em grupo. 

Com um onboarding bem sucedido, as chances do colaborador crescer na empresa e agregar coisas boas são bem maiores.

Antes do novo funcionário chegar

Existem algumas coisas que não podem ser deixadas para a última hora. Assim que uma nova pessoa é contratada, o RH deve providenciar (ou solicitar) um e-mail corporativo para ela. E, é claro, nesse e-mail corporativo é fundamental ter a assinatura de acordo com os padrões da empresa.

Se a organização já possui o Conecta Sign, essa etapa do onboarding fica bem mais fácil. Isso porque a assinatura da empresa já está cadastrada. Assim, é só aplicar a esse novo e-mail. Caso você não saiba como padronizar a assinatura de e-mail, nós explicamos em um dos nossos artigos.

Como ter um onboarding bem sucedido

Preparar dinâmicas de entrosamento

As dinâmicas são uma ótima forma de conhecer a pessoa que acabou de entrar para o time. Do mesmo modo, ela consegue saber mais sobre seus colegas de trabalho e também sobre a rotina. A dinâmica pode, inclusive, motivar aquele colaborador que já está há mais tempo na empresa. 

Esse tipo de atividade ajuda a entender o perfil de cada um, os pontos fortes e fracos e pode até ajudar a reorganizar a forma de trabalho da equipe. 

A dinâmica básica, que é a de falar nome, idade e alguma curiosidade, pode funcionar muito bem. Porém, se você quiser fazer algo diferente, sugerimos a introdução de algum tópico mais pessoal, como viagem dos sonhos ou estilo de música favorito. Assim, pode ser que aconteça alguma identificação entre os participantes. O clima com certeza ficará tranquilo e divertido.

Reuniões com o colaborador

Fazer reuniões periódicas, principalmente quando uma nova pessoa passa a fazer parte do time, faz toda a diferença. Isso também é parte crucial do onboarding. É um jeito de acompanhar se o colaborador está pegando o ritmo de trabalho, se ele entendeu como a empresa funciona, etc.

Além disso, pode ajudá-lo a se soltar mais e conversar mais com o time e com o superior. Nessas reuniões, o novo funcionário também consegue notar como se dá o entrosamento entre chefes e equipe. No começo, vale conversar duas vezes por semana, desde que isso não atrapalhe o andamento das demandas. Com o passar do tempo, elas podem ser semanais e, depois, quinzenais. 

Apresentar as ferramentas da empresa

Essa etapa do onboarding é bem óbvia, mas vamos falar dela mesmo assim. Ter um material pronto com todos os tópicos de cada ferramenta ajuda bastante na hora de treinar uma nova pessoa. Além disso, ajuda a não esquecer de nenhum detalhe que deve ser explicado ao colaborador.

Ensinar sobre os produtos da empresa

Por fim, explique a ele cada produto que a empresa oferece aos clientes. Quanto mais ele souber, mais rico o trabalho dele será. Porém, tome cuidado. Informações demais podem confundir a pessoa que está aprendendo. Proponha uma troca sincera e leve entre vocês. Dessa forma, o novo colaborador vai se sentir mais à vontade para tirar dúvidas ou para dizer que precisa de um tempo para absorver e aplicar determinada tarefa.


Continue conectado: